blog image

Algoritmo do Google: como o maior buscador do mundo funciona?


Que o Google abriga um oceano de informações todo mundo sabe. Segundo estatísticas, mais de 3,5 bilhões de pesquisas são feitas diariamente. Mas como alguns sites conseguem aparecer no topo da plataforma e alcançar mais acessos e conquistar autoridade? Dados indicam que 75% das pessoas sequer passam da primeira página de resultados do Google, pois encontram as informações que precisam nos links iniciais.

Além da mídia paga, as técnicas de SEO também fazem parte desse processo. Para quem não sabe, SEO é a sigla de Search Engine Optmization. Ou seja, um conjunto de métodos de otimização de sites, blogs e outras páginas da web que desejam melhorar o seu posicionamento nos resultados orgânicos nos mecanismos de busca.

Quando uma pessoa faz uma pesquisa na plataforma, o Google utiliza o termo e busca as informações na rede, analisando a relevância e a utilidade para aquele indivíduo. Portanto, quando um site não está organizado, a ferramenta encontra dificuldades para encontrá-lo e apresentá-lo como referência.

E como o Google seleciona um site para estar no topo? Quais são os critérios utilizados que destaca uma página da outra? As perguntas para essas respostas estão ligadas ao algoritmo. E é sobre esses fatores de ranqueamento que vamos falar hoje no blog.

O que é um algoritmo?

O algoritmo nada mais é que uma sequência lógica com instruções que devem ser seguidas à risca para cumprir sua finalidade. Seu propósito é executar uma tarefa específica, resolver um problema ou atingir um objetivo.

No caso do algoritmo do Google, a sua principal função é descobrir, entender e organizar todo conteúdo da internet para entregar respostas assertivas para as milhares de perguntas feitas pelas pessoas. Portanto, o seu foco está ligado em aperfeiçoar a experiência do usuário, por meio de constantes atualizações em seus conjuntos de dados.

Como funciona o algoritmo do Google?

O algoritmo do Google segue alguns princípios de seleção para decidir quais páginas irão ocupar o topo da plataforma. Esses parâmetros, chamados fatores de ranqueamento, são baseados na tríade EAT (Expertise, Authoritativeness e Trust), que em português, significa expertise, autoridade e confiabilidade.

Estima-se que o algoritmo do Google utiliza mais de 200 fatores para ranquear resultados. Entre os principais – que foram divulgados pela própria empresa ou comprovado em estudos – estão:

– Conteúdo

Como a experiência do usuário é um fator importante para o ranqueamento do Google, um conteúdo precisa ter qualidade e atender as dores e as necessidades das pessoas. Um bom caminho, antes de escrever um texto, é definir a persona para que a comunicação seja, de fato, assertiva.

Tamanho

O conteúdo sempre deve ser feito com foco no usuário, então não existe um número máximo de palavras, sendo 300 como mínimo. O texto precisa responder as principais dúvidas de forma otimizada e divididos em subtítulos.

Densidade

Repetir em excesso palavras-chaves sem qualquer critério no texto deixou de ser algo positivo para o Google e tornou uma prática de black hat (estratégia que busca otimização do conteúdo com foco nos motores de busca, sem considerar os usuários), que em alguns casos, pode sofrer penalizações severas do maior site de buscas mundial. Um conteúdo denso, por exemplo, deve promover uma leitura natural e leve e utilizar sinônimos e palavras-chaves de cauda longa.

Palavras-chaves

A pesquisa de palavras-chaves é extremamente necessária na produção de conteúdo otimizado, desde que respeite as recomendações citadas acima. A palavra-chave precisa focar no usuário e estar em pontos estratégicos, como na URL, no início do título do texto e no resumo.

Atualização e tempo de existência da página

Quanto mais uma página for antiga, maior é a chance de conseguir destaque no Google. Afinal, o tempo de atividade significa prestígio e autoridade. Porém, mesmo o conteúdo sendo antigo, ele precisa estar atualizado. Isso porque os robôs do Google vasculham as URL’s e analisam se tal texto ainda é relevante.

– Backlinks

A rede de backlinks (externos e internos) são as conexões feitas entre sites da internet e uma das mais importantes nos fatores de ranqueamento do Google. Em contrapartida, não adianta inserir muitos links no conteúdo se os mesmos possuem origens não confiáveis, sem relevância ou com pouca autoridade.

A importância de acompanhar as atualizações do algoritmo do Google

Seguir as técnicas de SEO e os fatores de ranqueamento podem garantir ótimos resultados. Mas os acessos orgânicos podem cair devido a uma atualização recente do algoritmo do Google que não foi notada.

Portanto, é essencial estar atento para realizar as mudanças no período certo. Uma vez que a experiência do usuário está cada vez mais sendo valorizada.



Quer receber gratuitamente dicas que te ajudarão a divulgar sua empresa?